A ABRATES, o SINTRA, o Congresso, Porto Alegre — e eu.

Você vai ao Congresso da ABRATES em Porto Alegre? Eu vou. Ou melhor, pretendo ir, porque a gente planeja e, no fim, dá tudo errado. Mas quero ir, pretendo ir, devo ir. Quem me conhece, sabe que eu tenho uma ligação afetiva muito forte com Porto Alegre, criada quando morei lá, ainda recém-casado, e fortalecida em visitas posteriores, quando fiz vários amigos na comunidade de tradutores do Rio Grande do Sul. Para ir a Porto Alegre, qualquer pretexto serve, nem precisa ser um bom motivo.
Quero ver a terra, quero abraçar os amigos, quero participar do Congresso. Estive nos dois primeiros, no Rio. Ao terceiro, tive de faltar, porque minha mulher já estava doente demais para viajar ou ficar sem mim mais do que algumas horas.
Mas o Congresso parece estar muito devagar. Não se vê nada nas listas de tradutores. Pouco ou quase nada no Twitter, embora a ABRATES tenha seu arroba próprio. Creio que nada no Facebook, uma que outra coisa no Orkut, mas, de oficial, praticamente nada. Parece até que o Congresso é secreto. Eu até fiz um agito no Twitter, mas, do pessoal da ABRATES, só apareceu o Marcelo Neves — que não participa das listas — e, mesmo assim, mais como particular do que como Tesoureiro da ABRATES.
A página é de uma pobreza franciscana. Há menos de três meses do Congresso, sabemos o nome de dois palestrantes:  Renato Beninatto, meu amigo de muitos anos, fundador da lista trad-prt e provavelmente uma das pessoas que melhor conhece o mundo da tradução profissional e Carlos Ancêde Nougué, de quem eu não tinha ouvido falar, mas parece ser pessoa de alta competência. O fato de que eu não conhecia Carlos Ancêde Nougué, a despeito dos meus 40 anos de militância tradutória, mostra uma das facetas importantes desses eventos, que é alargar nossos horizontes.
Mas fico aqui parafusando se SINTRA e ABRATES não fariam bem em sair um pouco do casulo, para postar umas coisinhas nas listas, Orkut e Twitter. Não ia custar tanto assim e podia até fazer muito pelo movimento, porque ambas as entidades parecem eternamente envolvidas em uma nuvem de mistério. Certo que ambas têm suas páginas na Internet, mas são coisas mortas, mais que mortas. Nem sei quando foram atualizadas pela última vez.
Nem um bloguesinho elas têm. Se a Kelli e eu conseguimos manter este blogue, porque nossas duas entidades representativas não podem? 
Agora vou contar para você de onde saiu este blogue: há anos, sugeri à ABRATES a criação de uma seção “Colegas de Amanhã” no site da entidade, para orientar os iniciantes e atrair mais associados para a ABRATES. Propus-me a escrever todos os textos sozinho ou juntamente com outros colegas. Recebi uma proposta amável e a sugestão de que formássemos um grupo de três, para não termos só a minha opinião. Os dois colegas lembrados para participar eram conhecidos meus e gente de capacidade. Aceitei na hora, satisfeitíssimo com a chance de trabalhar com eles.
Nunca mais me disseram nada sobre o projeto. Mudou a diretoria e não sei se a anterior julgou o projeto tão idiota que nem valia a pena repassar aos sucessores, ou se foram os sucessores que acharam a ideia toda uma bobajada só. Só sei que morreu o assunto. Ninguém é obrigado a concordar com minhas ideias, mas podiam ter dito que o projeto não ia sair.  
Depois de uns meses, me enchi de esperar resposta a criei este blogue que já estou escrevendo há mais de três anos. O ano de 2010 promete ainda mais.
Feliz ano novo!

EN→PTBR |Tradutor profissional desde 1970.


11 Comentarios em "A ABRATES, o SINTRA, o Congresso, Porto Alegre — e eu."

  • Danilo Nogueira
    16/01/2010 (9:58 am)
    Responder

    João Roque Dias em POA! Se isso não é uma grande e boa notícia! Para quem não sabe, além de tradutor que com justiça goza do respeito da clientela e comunidade, é um amigo e tanto que temos em Portugal.

    Alvo de muitas brincadeiras por ter um porte majestoso, é ainda maior por dentro que por fora.

  • João Roque Dias
    15/01/2010 (3:15 pm)
    Responder

    Caríssimo Danilo,
    Lá estarei. E vou falar e tudo! Vai ser um prazer vê-lo novamente.

  • Aline Silva Dexheimer
    08/01/2010 (12:46 pm)
    Responder

    Já fiz minha Inscrição!

  • Reginaldo
    04/01/2010 (5:21 pm)
    Responder

    Pois é, uma divulgação tão fraca que acabei sabendo do congresso só depois que o prazo para submissão de trabalhos já tinha passado…

  • Aline Silva Dexheimer
    04/01/2010 (3:21 pm)
    Responder

    Olá Danilo,

    Se eu conseguir me organizar e deixar as crianças bem eu vou.
    Hotel não vou precisar…risos
    Também acho pouco as informações sobre o congresso! Estranhei isso…
    Beijos,Aline

  • Danilo Nogueira
    04/01/2010 (5:59 am)
    Responder

    O comentário abaixo foi postado equivocadamente no artigo chamado "A tradução está uma porcaria…" http://www.tradutorprofissional.com/2010/01/traducao-esta-uma-porcaria-culpa-de.html. Reposto, aqui, com agradecimentos à comentarista:

    *****

    Carol_Fernandes deixou um novo comentário sobre a sua postagem "A tradução está uma porcaria. Culpa de quem?":

    Danilo,

    Fui buscar o site do Carlos Nougué e acabei encontrando outras informações. Encontrei uma resenha de um professor de literatura sobre a tradução de Carlos Nougué e do José Luis Sanchez do livro El Ingenieso Hidalgo de La Mancha.
    Ele questiona muitas das decisões dos tradutores, como todos fazem sem saber das tantas decisões que tem que ser tomadas em tão poucos minutos, as vezes. Lógico que não foi o caso deles.

    Para quem tiver interesse, entre no link abaixo para ler a resenha.

    http://recantodasletras.uol.com.br/artigos/101094

    Carol_Fernandes

    *******************************

    Obrigado à Carol pelo interesse.

  • Danilo Nogueira
    03/01/2010 (1:43 pm)
    Responder

    Seria uma beleza, Ana, mas talvez difícil, por falta de gente. Mas tem que ter um começo. Um bloguinho, atualizado que fosse uma vez por semana, contando as novidades e dizendo o que a diretoria anda fazendo ia ser um grande começo.

  • Ana Iaria
    03/01/2010 (1:32 pm)
    Responder

    Uma pena que a Abrates seja tão silente. Eu sempre a comparo ao bingo da paríquia. Talvez a nova diretoria ou a atual pudessem se espelhar no ITI, que tem programas para iniciantes, com workshops, uma education officer atuante no Twitter, um comitê educacional e outro para presença online (atuo nos 2).
    Uma pena que a Abrates não aproveite a Internet e tudo o que ela tem bom. No CIOL, a Translating Division promove peoo menos 2 webinares por mês. O custo é mínimo. Sabia que muitos colegas nossos participam dos webinars? A coordenora me dsse que teve que ajustar o horário para atender ao público brasileiro.

  • Danilo Nogueira
    02/01/2010 (9:19 pm)
    Responder

    Denise: complicado e, a meu ver, esquisito.

    Carol: pelo jeitão do minicurrículo do site, me pareceu que era gente boa. Fico contente com a sua confirmação. Obrigado.

  • Anonymous
    02/01/2010 (9:03 pm)
    Responder

    Oi Danilo,

    Sempre recebo os seus posts mas nunca chequei a fazer nenhum comentário no blog. Mas hoje é esse dia! Por que? para realmente deixar um comentário do Carlos Noguê.
    Fui aluna dele no curso de especialização da UGF de Belo Horizonte. Ele ministrou a disciplina tradução literária do português ao espanhol.Um show! Muito bom perceber as angústias e as alegrias para encontrar a tradução adequada para grandes escritores brasileiros.
    Muito sucesso em 2010!
    Carol_Fernandes

  • denise
    02/01/2010 (7:10 pm)
    Responder

    é, é complicado. uma pena.


O que achou do artigo? Deixe seu comentário.

Pode publicar em html também