A tradução espichou

Sempre se diz que, quando traduzimos do inglês, o texto espicha. As estimativas variam de dez a trinta por cento e até mais. Um problema grave quando estamos traduzindo um arquivo pptx, por exemplo, onde precisamos nos ater a uma diagramação estrita.

Há exceções, como mostra este exemplo do Millôr Fernandes:

Once upon a time there was a little old man.
Era uma vez um velhinho.

…que mostra como se pode distorcer uma verdade com o uso de exemplos escolhidos a dedo.

Mas, qual é a verdade? Hoje, acordei com vontade de fazer umas continhas e ver exatamente quanto minhas traduções ficavam mais compridas. De verdade, não no olhômetro.

Então, primeiro, peguei um texto que eu próprio tinha traduzido, abri original e tradução no MSWord 2013 e usei o comando contar palavras, na aba revisão, com base para umas continhas. Contagens de palavras diferem conforme o programa usado, mesmo porque existe mais de um conceito do que seja uma palavra, mas usei o MSWord 2013 porque era o que tinha à mão – e usei o mesmo programa para o português e para o inglês.

Os resultados foram:

 

Original

Tradução

Palavras

12.319

12.893

Caracteres sem espaços

62.102

66.398

Caracteres com espaços 74.056 79.018

 

Meu original, um texto sobre história contemporânea em inglês, tinha 12.319 palavras. Minha tradução tinha 12.893, um aumento de 4%. É certo que sou adepto da concisão em português e, por exemplo, acabo com a vida dos pronomes desnecessários e não gosto muito de enrolêixon mas, mesmo assim, bem menos do que os tais 30% de que se fala por aí.

Se a amostra fosse maior, acho que não faria muita diferença. O serviço passou por revisão profissional e o revisor gostou do que viu e não encontrou saltos. Aliás, como eu usei Wordfast Classic na tradução, a chance de saltos era realmente próxima de zero.

As 12.319 palavras do inglês deram 62.102 caracteres, sem espaços, ou 74.056 caracteres com espaços. Isso significa que cada palavra do inglês tem em média, 5,04 caracteres, sem espaços ou 6,01, com espaços. As 12.893 palavras do português deram 66.398 caracteres, sem espaços, ou 79.018, com espaços, o que significa 5,14 caracteres por palavra, sem espaços, ou 6,12 caracteres por palavra, com espaços.

Quer dizer, o tamanho médio das palavras portuguesas no meu texto excedeu o das palavras inglesas em cerca de 1%.

Não me peça para converter isso tudo para laudas: a lauda é uma unidade fluida, maleável e variável e cada um tem a sua lauda.

Peguei uma amostra razoavelmente grande, para aplainar o efeito das exceções – o que significa que, escolhendo a dedo, como fez o Millôr lá em cima, é fácil encontrar exceções e, de acordo com Murphy, os casos mais espichantes vão aparecer exatamente naquele pptx feito por Belzebu que você está traduzindo.

EN→PTBR |Tradutor profissional desde 1970.


1 Comentario em "A tradução espichou"

  • Rosa Benatti
    06/06/2018 (2:42 pm)
    Responder

    Análise muito interessante. Ao sermos mais sintéticos na tradução, o texto também fica mais elegante. Essa foi uma excelente dica, Danilo.


O que achou do artigo? Deixe seu comentário.

Pode publicar em html também