Agência pede serviço grátis

E esta, é a última das perguntas da Claudia.

Também não faz muito tempo outra agência me procurou para saber se ela poderia contar comigo para as traduções. Respondi que sim. Até aí, tudo bem. A agência começou dizendo que era nova no mercado e que no inicio eu faria as traduções sem um contrato ou qualquer papel escrito e que também ela daria de presente 1.500 caracteres para atrair clientes, que essa prática era comum e que se eu pretendia cobrar esses 1.500 caracteres pois a agência não queria arcar sozinha com essa “promoção”. Não respondi, mas a agência ficou de entrar em contato comigo quando aparecesse alguma coisa. Terceira pergunta: Isso é possível ou eu estou ficando maluca? As agências realmente podem fazer isso?

As 1500 palavras grátis podem ser uma jogada de marketing, mas não são norma do mercado, em absoluto. Aliás, me parece uma jogada boba, mas isso é questão de opinião. Indo mais a fundo na questão, a agência está pedindo que você trabalhe grátis para fazer o nome dela, em troca de alguma vaga promessa de serviço futuro. É comum o cliente (agência ou final) oferecer serviço em condições desfavoráveis, a troco de alguma vaga e nebulosa promessa de bons serviços futuros. Algumas dessas ofertas são sinceras, mas nenhuma delas é garantida. Quer dizer, pode dar certo, mas o risco de você fazer as 1500 palavras grátis e nunca mais ouvir falar da agência é muito grande. Muito maior que a probabilidade de alcançar o almejado fluxo constante de serviço.

Ganhar dinheiro com agência de tradução é difícil, muito mais difícil do que parece. A quantidade de gente que pensa que vai montar uma agência na segunda e ficar rica na terça é muito grande, o que revela seu vasto desconhecimento do negócio. A toda hora os tradutores mais veteranos e conhecidos do mercado recebem propostas de colaboração mirabolantes, de gente empolgada que está montando uma “agência diferente das outras”.

Existem duas maneiras de montar uma agência de sucesso: a primeira é ter capital para agüentar pelo menos três anos de prejuízos. A segunda é começar exclusivamente com o seu trabalho e ir aumentando, aos pouquinhos, formando a clientela e o grupo de colaboradores lenta e cautelosamente. Fazer uma lista de 100 tradutores e botar na Internet um site cheio de firulas, coisas que se movem e tocam musiquinha é fácil; arranjar um nomezinho maneiro e impressionante, também é; fazer a agência vingar é mais complicado.

Outra coisa surpreendente é o não haver papel passado de nada. Criar um formulário de ordem de serviço para o tradutor custa pouco e ajuda muito. Um tanto de amadorismo, aqui. Amadorismo que não promete um futuro brilhante para o empreendimento.

EN→PTBR |Tradutor profissional desde 1970.


1 Comentario em "Agência pede serviço grátis"

  • Rafael de Sá Cavalcanti
    09/11/2007 (6:28 pm)
    Responder

    Sr. Danilo, uma pequena correção: a Cláudia, no trecho citado que você colou no post, fala em 1.500 caracteres, não palavras. 1.500 caracteres não é tanto, concorda? Não chega a 2 laudas, seja com ou sem caracteres, e de acordo com a maioria dos critérios utilizados para definir uma lauda de tradução.


O que achou do artigo? Deixe seu comentário.

Pode publicar em html também