Antigamente, os Políticos Sabiam Ler

Você ouviu falar em Bartolomé Mitre? Claro, há uma rua com esse nome em Buenos Aires. Mas o que mais você sabe de don Bartolomé? Eu sabia muito pouco, até ontem, quando, por recomendação de @matthewbennett, no Twitter, fui ler um texto do homem e, depois, fascinado, fui procurar a biografia dele na Wikipedia.
O fato é que ele foi presidente da República Argentina, comandante militar no tempo da Guerra do Paraguai e fundador do La Nación, segundo maior jornal argentino, ainda em mãos de seus descendentes. Morou em cinco países, sempre ativo na política e no jornalismo. Nas horas vagas, foi historiador e — claro! — tradutor. Nosso colega argentino não era pouco ambicioso e atacou de Divina Comédia. Não entendo nem italiano antigo nem espanhol o suficiente para analisar a tradução de Mitre, mas o prefácio, intitulado “Teoría del Traductor”  é muito interessante, mesmo que você não concorde totalmente com a posição do autor.
O texto, como eu o li e de acordo com o encaminhamento do Matthew Bennett, está no blogue do Clube de Traductores Literarios de Buenos Aires. O título do artigo é uma triste verdade: Antes, los políticos sabiam leer, escribir e incluso traducían a los clássicos.

EN→PTBR |Tradutor profissional desde 1970.


2 Comentarios em "Antigamente, os Políticos Sabiam Ler"

  • Danilo Nogueira
    21/11/2009 (8:21 pm)
    Responder

    Não sei o que podemos inferir, mas sei que o texto é mais inteligente do que muita coisa que ando lendo por aí.

  • Felipe
    21/11/2009 (8:10 pm)
    Responder

    Danilo, que achado interessante! Podemos inferir que Mitre foi o precursor da teoria da tradução que conhecemos hoje como moderna, e muito antes do surgimento desta (1889). Simplesmente genial.


O que achou do artigo? Deixe seu comentário.

Pode publicar em html também