Congresso: a emoção de LIBRAS

A abertura oficial foi magistralmente capitaneada pelo Marcelo Neves. Aberturas são eventos protocolares, geralmente sem grandes emoções. Mas esta foi diferente, porque, tínhamos intépretes de LIBRAS e na hora de cantarmos o Hino Nacional, a Quetlin Ester Ribeiro, emocionou a todos com sua sinalização do texto complicadíssimo de Joaquim Osório Duque Estrada. Não, espera, sinalizar o Hino Nacional? Por quê? Para quê? Surdo canta o Hino? Surdo ouve o Hino? Mas intérprete sinalizou e sinalizou com garra. É bom lembrar que a linha que separa emoção do ridículo é muito tênue e que a intérprete corria um grande risco. Mas correu o risco e ganhou a parada.

A turma de LIBRAS jogou pesado: além das intérpretes, que incluíam também Flávia Machado, Sandra Lima, Kelen Munari Dolejal, Patrícia Ughi, Celeste Müller e Vanize Flores e de Sandro Fonseca e Vinícius Martins, que fizeram uma excelente comunicação sobre formação em LIBRAS, tivemos a Ângela Russo, presidente da Agils, (Associação Gaúcha de Intérpretes de Língua de Sinais), sorridente em todos os cantos do Congresso e fazendo uma palestra, que, graças a um problema na instalação elétrica, teve até explosões.

Duas coisas a ressaltar.

A primeira, o pique da turma. Nenhum deles faz parte da ABC (Associação Brasileira dos Coitadinhos) aquela turma que fica choramingando nos cantos porque ninguém faz nada por eles. Não ouvi uma queixa. Só planos e realizações. São da turma do “vamos dar um jeito nisso”. Gente muito minha.

A segunda é que LIBRAS é uma das últimas fronteiras da interpretação. Conversar com eles e observar seus problemas é mais ou menos como, para um tradutor de inglês, entender os problemas enfrentados pelos tradutores de húngaro ou chinês. Saí de lá pensando e repensando muita coisa e espero ter a oportunidade de analisar aqui. Mas, por hoje, é só.

Ah, e antes que me esqueça, a Pricila Reis Franz está fazendo uma crônica do Congresso muito boa e bem diferente da nossa. Vale a pena ler.

EN→PTBR |Tradutor profissional desde 1970.


4 Comentarios em "Congresso: a emoção de LIBRAS"

  • Angela Russo
    19/11/2010 (10:39 pm)
    Responder

    Nossa! Não acredito que não tinha lido isto antes. Valeu Danilo. Beijocas para você. Forte abraço. Angela Russo…sorridente

  • Pricila Reis Franz
    02/04/2010 (12:17 am)
    Responder

    Danilo,

    Só agora tive tempo de ler meus feeds! Que correria! Muito obrigada pela minha citação no seu post. Tomara que mais pessoas dediquem um tempinho para descrever suas impressões sobre o Congresso, assim todos nós saímos ganhando.

    Boa Páscoa para você e para a Kelli. 😀

  • Maria Cristina Pires Pereira
    31/03/2010 (3:12 pm)
    Responder

    Danilo:
    Obrigada por lembrar de nós! Só um pitaquinho, não esqueça que houve, também, um painel sobre Os Campos de Atuação dos ILS (intérpretes de língua de sinais) com a Angela Russo (material didático, ex-presidente da Agils, atual secretária geral), Andréa da Silva Rosa (interpretação na área educacional) e euzinha (conferência).
    No mais, valeu a força!
    Abs!

    • danilo
      31/03/2010 (3:51 pm)
      Responder

      … mas a esse eu não estive presente. Queria ter sido meia dúzia para ver tudo.


O que achou do artigo? Deixe seu comentário.

Pode publicar em html também