Dicas para tradutores iniciantes

Fala sério: você já pensou na importância do e-mail? Antigamente, a gente mandava cartas (e, muitas vezes, era obrigatório ser do próprio punho. Hoje a gente manda e-mail.

Vamos começar pelo endereço. Qual é o seu endereço? Se você tem uma coisa tipo [email protected], está na hora de arranjar outro, mais sóbrio. Sugiro criar uma conta no gmail, por exemplo. Por quê? Porque há muitos provedores de Internet que automaticamente barram mensagens de provedores brasileiros, tais como Terra e Uol, por causa do excesso de spam. E você quer que suas mensagens cheguem, certo?

Segundo, se você quer ser profissional, saiba que a hora do recreio acabou. Não tem mais internetês. Nada de achu ki da pra faze. É acho que dá para fazer. Smileys, só depois de adquirir um pouco de intimidade com o cliente. Melhor deixar que ele comece a usar. aQuElA cOIsa de alternar aleatoriamente maiúsculas e minúsculas, nem pensar. Na linha de assunto, não use acentos nem cedilhas, porque muitos servidores se perdem com essas coisas. Mas no corpo da mensagem, escreva direito, com acentos, cedilhas, como manda a ortografia. Sem gíria nem palavrões. Ou, ao menos, espere que o cliente comece a se comunicar assim.

Aprenda a não escrever TUDO EM MAIÚSCULAS, também.

Seu e-mail é seu cartão de visitas, algo que o cliente lê antes de seu currículo. Então, cuide da gramática. Em muitas agências, os e-mails com erros de crase ou de uso do verbo haver são apagados imediatamente, sem maiores atenções.

Deixe o cliente dar o tom da conversa. Se o cliente usa atenciosamente como fecho, não vai fechar tua resposta com um beijo!

Não instale no seu programa de e-mail aqueles extras que botam linhas de smileys em toda a correspondência.

Por hoje é só. Amanhã, e eu estiver vivo, falamos de currículos.

EN→PTBR |Tradutor profissional desde 1970.


3 Comentarios em "Dicas para tradutores iniciantes"


O que achou do artigo? Deixe seu comentário.

Pode publicar em html também