Do caderno de notas de um velho tradutor

Colega escreve, dizendo que onde ele mora há gente trabalhando por muito pouco e prestando serviços ruins. Na verdade, os tradutores se dividem em três catetgorias:

  1. Os que cobram menos que eu, prestam serviços ruins e aviltam nossa profissão.
  2. Os que cobram o que eu cobro, mas prestam serviço pior que o meu.
  3. Os que têm a sorte de conseguir cobrar mais que eu, mas não merecem o que ganham.

Todo tradutor acha que quem cobra menos que ele avilta, mas costuma se esquecer de que ele também cobra menos que muita gente e, quando defrontado com essa realidade, se desfaz em desculpas e explicações.

Mas tarde escrevo mais alguma coisa. Este aqui foi só uma brincadeira.

EN→PTBR |Tradutor profissional desde 1970.


Sem comentarios em "Do caderno de notas de um velho tradutor"


    O que achou do artigo? Deixe seu comentário.

    Pode publicar em html também