Edição Extra: Desaforo!

Gente, é demais. Aconteceu de novo. Todo santo dia acontece, não tem exceção. Não falha um!

“Estudo inglês a 10 anos” 

Ótimo, mas, não teve dez minutos, nesses dez anos, para aprender a escrever português? Para aprender que é “há dez anos”? E quer se dedicar à tradução! De vez em quando, me ferve o molho de tomate que me corre nas veias e dá vontade de responder como se respondia no Brás, na minha infância. Mas não adianta. Primeiro que a destinatária da correção ainda responde com mimimi, ‘tadinha. Segundo, que vem a turminha do “ah, temos que fazer críticas positivas” passar a mão na cabecinha de bagre. Farei, então uma crítica altamente positiva: quer ser tradutor? Ótimo. Gaste cada minuto livre de sua vida estudando a sua segunda língua (provavelmente o inglês) e para cada minuto que estudar a segunda língua, estude ao menos dois de português. Agora, escreva 100 vezes:

Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.

Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.
Estudo inglês há dez anos.

O enlace para este artigo é http://www.tradutorprofissional.com/2009/11/edicao-extra-desaforo.html. Quando aparecer pela sua frente um “a 10 anos”, ou, pior “a 09 anos”, responda com o link.

EN→PTBR |Tradutor profissional desde 1970.


12 Comentarios em "Edição Extra: Desaforo!"

  • William
    13/04/2010 (12:30 am)
    Responder

    “HÁ” algum tempo acompanho seu blog sem comentar nada, mas não resisti depois de ler este post!

    Simplesmente Genial!
    Acabei de adicioná-lo ao meu “favoritos”.
    Este é um erro que me irrita PROFUNDAMENTE, até no msn. É tão profundo meu ódio que se alguma pretendente a namorada escrever assim já está a meio caminho de ser sumariamente excluída, bastando apenas um erro menor de concordância pra completar o serviço (a não ser, é claro, que ela seja uma Ana Hickman… aí eu posso até dar uma segunda chance, hehehe).

    No próximo “a”, “à”, “á” ou seja lá o que inventarem de colocar no lugar do verbo haver é só colar o link!

    Parabéns pelos comentários e artigos sempre interesantes e inteligentes.
    Genial!

  • Erik Borten
    25/03/2010 (1:28 pm)
    Responder

    Ainda bem que o pobre coitado não usou o “a” craseado… 🙂

    Já pensou? Estudo inglês à 10 anos…

  • Emilio Pacheco
    28/11/2009 (3:07 am)
    Responder

    OK, Danilo. Só um comentário adicional: se já é difícil para alguns usar o verbo haver no exemplo citado, mais difícil é perceber que ele pode flexionar em tempo. Certa vez li uma matéria sobre uma famosa corredora de rua aqui de Porto Alegre. Havia uma frase mais ou menos assim: "Casada há dois anos, Fulana começou a correr…" Como a reportagem informava que ela tinha filhos, todos com mais de dois anos, concluí que eles nasceram antes do casamento. Sem problemas, claro, mas foi o que me pareceu. Até que percebi o que o redator quis dizer: "Casada HAVIA dois anos, Fulana começou a correr…" Ou seja: ela começou a correr quando tinha dois anos de casada. Ou: quando FAZIA dois anos que tinha casado. Nesse caso, o tempo verbal incorreto lhe atribuiu indevidamente alguns anos como mãe solteira.

  • Danilo Nogueira
    28/11/2009 (1:33 am)
    Responder

    Emilio, de fato estamos com um problema aqui. Espero poder resolver logo. Faz parte de algumas mudanças que estamos fazendo.

    Obrigado pelo comentário.

  • Emilio Pacheco
    28/11/2009 (1:29 am)
    Responder

    Danilo, para mim, ao menos, os links não estão funcionando. Trocando a parte do http://www.tradutorprofissional.com.br por tradutor-profissional.blogspot.com, dá certo. Não sei se é um "alias" que meu computador não está identificando ou se é erro, mesmo.

  • Bete Köninger
    27/11/2009 (9:07 pm)
    Responder

    Hehehe! Boa, Danilo!
    Pior que isso não é só mal de tradutor, não. Já cansei de ver professores e jornalistas cometendo esse erro repetidamente. Vou mandar o link para uma colega professora que vai se divertir!

    Obrigada!
    Bete

  • Camilinha
    27/11/2009 (1:43 pm)
    Responder

    Eheheheh
    Rolou um CRTL+C e CTRL+V forte hein?

  • Danilo Nogueira
    27/11/2009 (11:31 am)
    Responder

    Felipe, parece que o mesmo problema ocorre nas Nações Unidas e na União Europeia: a turma faz uma força enorme para aprender a língua dos outros e acaba deixando a própria de lado. A isso, chamo eu "xenolatria".

  • Danilo Nogueira
    27/11/2009 (11:30 am)
    Responder

    Marion

    O link está aí, agora, para quando baixar o espírito suíno em alguém.

  • Felipe
    27/11/2009 (11:17 am)
    Responder

    As matérias com maior índice de reprovação, pelo menos no curso de tradução da UNESP, são aquelas que exigem do aluno um conhecimento amplo da língua portuguesa. Intrigante, não?

  • Anonymous
    27/11/2009 (12:42 am)
    Responder

    Bom post!!!

    Abs
    Zattar

  • Anonymous
    27/11/2009 (12:05 am)
    Responder

    Hahahaha – tirou daqui, Danilo. Desopilou o fígado. A gente não quer ser ranheta, mas essas coisas irritam mesmo.

    Um abraço,

    Marion


O que achou do artigo? Deixe seu comentário.

Pode publicar em html também