Línguas de menor demanda

Descobri o blog ha’ pouco tempo, e desde então tenho feito constantes visitas.

Gostaria que você escrevesse um pouco sobre o mercado para os tradutores de língua não inglesa, como o francês, espanhol etc.

Abraços

Fernando

Fernando, ninguém tem dados precisos, mas, assim, de orelhada, acho que mais de 50% do mercado é de e para inglês. No segundo pelotão vem o espanhol, que tem crescido muito, depois o francês, italiano e alemão e depois as outras línguas. Há serviço, mas é pouco, salvo para o espanhol. A falta de serviço é parcialmente compensada pela falta de tradutores e há gente ganhando bom dinheiro com francês, por exemplo.

Dois problemas, entretanto: Primeiro, que fora do inglês, a possibilidade de especialização é pequena: se você faz italiano, um dia é de matemática, no seguinte e mecânica e no terceiro é metafísica. O investimento de tempo em pesquisa é enorme. Segundo que o mercado de traduções é muito pouco transparente: achar o serviço é sempre complicado e mais complicado ainda para as línguas de menor demanda. Por isso, encontrar os clientes para italiano, por exemplo, exige muita virtù e fortuna. Existem, mas são difíceis de encontrar.

Para as línguas de expressão ainda menor, a coisa complica e é importante ser realista. Há tempos, havia uma jovem que dizia pretender dedicar-se à tradução da poesia polonesa, pela qual era apaixonada. Nada contra, mas disso é difícil viver.

Se você digitar o nome de alguma língua na caixa pesquisar blog que fica no alto da tela, do seu lado esquerdo, vai ver outros comentários sobre o assunto.

Obrigado pela visita e volte sempre.

EN→PTBR |Tradutor profissional desde 1970.


1 Comentario em "Línguas de menor demanda"

  • Ricardo
    12/07/2010 (3:27 am)
    Responder

    Ola, vou ser breve. Moro na Italia e sou fluente em italiano. A quem eu deveria me voltar para traduzir livros do italianoportugues? Poderia gentilmente me dar informacoes sobre este procedimento para quem mora fora do Brasil?

    Grato

    Ricardo


O que achou do artigo? Deixe seu comentário.

Pode publicar em html também