Tenho que compar Trados?

Conversando com o proprietário de uma agência, descobri que o curso de Wordfast, para ele, não significa quase nada, e deixou bem claro que passaria trabalho para mim se eu soubesse o Trados. O que você acha disso, devo fazer um curso de Trados?

Boa pergunta. Acabo de fazer um serviço Trados usando Wordfast e, embora eu domine ambos os programas, preferi o WF porque acho bem mais prático. É um cliente antigo. Jamais me perguntaram se eu tinha Trados, embora uma vez me perguntassem se eu sabia usar TagEditor, o que significa que presumiam que eu tivesse Trados, já que o TagEditor é um dos utilitários do Trados. Recebo deles montes de serviço, para o qual jamais uso o Trados Workbench, que é o módulo principal e mais conhecido do programa – a tal ponto que quando a turma fala em Trados, geralmente se refere exclusivamente ao Workbench. O outro módulo importante é o tal do TagEditor, que não abre diretamente no Wordfast. Entretanto, de uns tempos para cá, estou fazendo até serviço de TagEditor em Wordfast.

Mas o dono da agência provavelmente acha que isso é impossível e quer que você compre um programa que além de chato é caro. O truque do Trados sempre foi esse: convencem os donos das agências de que o programa deles é uma coisa nunca vista e o dono da agência diz se você tiver Trados, eu te dou serviço, então você compra Trados e pronto.

Muitos donos de agência estão, aos poucos, se convencendo de que existem outras maneiras mais baratas e eficientes de fazer as coisas, mas não são todos. Então, muitos de nós ainda somos obrigados a comprar Trados. O curioso é que muitos dos que têm Trados, continuam fazendo a maior parte do serviço em Wordfast, porque é mais rápido. Mas a Trados não se importa com isso: para eles, o importante não é você usar o produto deles, mas sim o comprar. Comprou, embolsam o dinheiro e estão felizes tentando te empurrar mais um upgrade que não upgrada nada.

O dono da agência tem direito à sua opinião e a exigir o que quiser e eu tenho o direito de achar que ele está fazendo exigências absurdas.

Ele disse que, se você comprar e aprender a usar Trados, vai te passar serviço? Essa é a promessa dele, não a minha. De um modo ou de outro, estou agendando um curso de Trados para o novembro. Não que eu goste do programa, mas sempre tem gente que procura o curso.

E por hoje é só.

EN→PTBR |Tradutor profissional desde 1970.


4 Comentarios em "Tenho que compar Trados?"

  • Ricardo
    23/01/2009 (9:49 pm)
    Responder

    Bem, hoje acabo de fazer uma pergunta ao telefone que me trouxe até este blogue: “Tag Editor? Não. O que é isso?”. É escusado dizer que a proposta de trabalho terminou logo por ali!
    Onde é que eu posso aprender o que é o tag editor e a aceitar trabalhos sem ter de comprar o dito?

  • Danilo Nogueira
    28/10/2008 (1:03 pm)
    Responder

    Oi, Anônimo. Você deve ser a mesma pessoa que polidamente me chamou de ignorante em outro comentário e fez o que podia para me desacreditar. Tudo bem, direito seu. Não é você o único.

    Eu sempre atualizo meu Trados, Anônimo, exceto durante dois ou três anos no início do século. Acho que, naquela época, pulei uma versão. A gente atualizando sempre, o custo é bem baixo e, além disso, o profissional não pode usar versões ultrapassadas.

    Quanto ao treinamento, sempre se baseia na mais recente versão. Seria no mínimo desonesto treinar com uma versão fora do comércio, salvo se o treinado especificamente solicitasse esse serviço, caso em que seria treinamento particular. E eu posso ser ignorante, mas desonesto não sou.

    Sabe, Anônimo, eu continuo achando o MultiTerm uma porcaria muito inferior aos programas de gestão de terminologia do Wordfast, DVX e MemoQ. E continuo lendo, na lista dos usuários do Trados, que a maioria deles detesta o MultiTerm

    Continuo achando que a primeira opção de qualquer tradutor deve ser Wordfast e que Trados a gente deve comprar e usar quando não tem absolutamente opção alguma.

    Entretant é meio como marca de carro: uns juram por Ford, outros acham que nada há melhor que VW e a minha mulher de tempos em tempos trocava seu Fiat por um modelo mais novo, sem nem pensar em outras marcas. E, assim, sendo, acho que você tem todo o direito de achar o TWB, TE e MT três excelentes programas. Não seria o único.

    Amplexos complexos e perplexos.

    Danilo

  • Anonymous
    28/10/2008 (12:30 pm)
    Responder

    O curso de trados será sobre a versão mais recente? Seus comentários não deixam dúvida que o senhor não a conhece. E, só por curiosidade, como é dar aula sobre o que não se conhece?

  • Fabio
    16/10/2008 (6:51 pm)
    Responder

    Essa coisa de agência forçar o tradutor a usar o Trados é realmente muito chata. Na maioria das vezes, é por estupidez ou preguiça de não enxergar nenhum produto além do marketing agressivo do Trados. Outras tantas vezes é porque tem aquela tabelinha de descontos por repetições. Além do mais, no quesito contagem de palavras, parece que o Trados força a contagem para baixo, deixando o tradutor no prejuízo.

    Eu, pessoalmente, só uso Trados quando sou obrigado mesmo, depois de chorar na frente do cliente pedindo para usar o Wordfast. A maioria até é compreensiva e aceita, mas sempre tem alguns que fincam o pé no chão com intransigência.

    Mesmo dando o braço a torcer para alguns poucos e bons clientes, meu lema é este:
    http://fidusinterpres.com/?p=270

    🙂


O que achou do artigo? Deixe seu comentário.

Pode publicar em html também