Você decide: O Repasse

Vários dos comentaristas demonstraram revolta com o fato de que Beta estava retendo 2/3 do preço pago pelo cliente Gama e que Alfa, que “estava fazendo o serviço”, ia ficar somente com 1/2.
Essa questão sempre aparece e, na minha opinião, é sempre irrelevante. Mas antes de dar a minha opinião, quero contar um caso real. Colega me escreve dizendo que de vez em quando tinha excessos de serviço e gostaria de repartir (gente fina não repassa: quem repassa é agência; gente fina “reparte” ou “divide”]. Perguntou se eu achava aceitável uma divisão a 2:1, quer dizer, o tradutor encarregado ficava com 2/3 e ela com 1/3. Nunca descobri se ela estava me oferecendo serviço de um modo indireto, mas essa não é a questão. A questão, para mim, é “2/3 de quanto?” Se ela me dissesse “2/3 de R$ 0,09 por palavra”, a resposta era negativa, porque isso significaria R$ 0,06 por palavra no meu bolso, o que é menos que o meu mínimo. Se fossem 2/3 de R$ 0,90 por palavra, aceitaria com prazer, porque daria R$0,60 por palavra, o que é mais do que estou conseguindo cobrar. Quer dizer, não quero saber quanto a intermediária retém, eu quero saber quanto me paga.
Essa minha postura tem um outro lado: não dou o famoso “desconto de mau negócio”. Não me venha com a história do “estou cobrando pouco do cliente”. Se alguém pegou um serviço a dois reau a baciada isso é problema dele, ele que se dane e não venha descarregar o prejuízo nas minhas costas.  Quer dizer, a intermediária tem lá seus problemas e eu tenho os meus. Eu não pago as contas dela, ela não paga as minhas. Mas disso, falo no próximo capítulo desta novela.
Terça-feira volto à esta discussão. Amanhã, temos outro “Você decide”, mais uma vez com uma semana para comentários. Enquanto vocês postam comentários, eu volto a este assunto. Parece que os “você decide” vieram para ficar. É muito divertido.

EN→PTBR |Tradutor profissional desde 1970.


1 Comentario em "Você decide: O Repasse"

  • Anonymous
    01/12/2009 (3:58 pm)
    Responder

    Não consigo ver justificativa para que um tradutor no mesmo projeto ganhe 4 vezes o que ganha um colega. Então não há limites? O tradutor que recebeu o repasse poderia repassar então a quem fizesse por um prato de feijão com arroz?


O que achou do artigo? Deixe seu comentário.

Pode publicar em html também